Energia da Biomassa

Entende-se como biomassa qualquer matéria orgânica de origem animal (zoomassa) ou vegetal (fitomassa). O aproveitamento energético da biomassa pode ser feito de diversas formas, conforme mostra a Figura 1. Desde a combustão ou queima direta, passando por processos de gaseificação, ciclos de geração utilizando vapor ou gás, uso na forma de trabalho mecânico através do álcool combustível ou óleos vegetais, até na forma de aproveitamento bioquímico através da decomposição anaeróbica, a energia da biomassa mostra-se bastante versátil e flexível nas suas aplicações tecnológicas.

A introdução da energia da biomassa confere um novo valor estratégico a recursos que se distribuem de forma bastante dispersa sobre todo o território, principalmente nos países tropicais. Ao contrário dos combustíveis fósseis que estão concentrados em determinadas partes do planeta, a energia da biomassa se distribui por todo o espaço geográfico. Assim, a utilização da biomassa está sempre ligada à ocupação territorial, à valorização estratégica da terra como fator de produção.

Na implantação do aproveitamento energético da biomassa, as economias de escala passam a ter importância secundária; os equipamentos tecnológicos são relativamente simples; os custos de capital são minimizados; o conteúdo tecnológico de base pode ser facilmente aprendido e difundido. Assim, fica favorecida a descentralização, as iniciativas locais, a pequena e média indústria, a agricultura familiar, a inovação tecnológica realizada através de pequenos passos. Como resultado, temos uma melhor ocupação territorial, uma distribuição de renda mais justa e uniforme, alterando profundamente as estruturas econômicas, sociais, políticas e culturais desenvolvidas com base nos combustíveis fósseis.

Aprenda mais sobre Energia da Biomassa estudando os artigos: Biomassa1; Biomassa2.